— Devil In I

Ir em baixo

— Devil In I

Mensagem por Dalton Baltmor Weiss em Seg Jul 25, 2016 9:52 pm

[center]

ABOUT HIM

O mundo de Dalton era simples: quatro paredes acinzentadas, móveis velhos e uma única janela no topo do quarto por onde ele conseguia ver a entrada de luz. Ou pelo menos era disso que ele se lembrava. Das plantas, da geladeira que fazia um barulho alto demais quando ligada e do vago rosto embaçado de sua mãe, que sempre o amou e cuidou para que Dalton pudesse ter uma vida boa. Mas nada além disso. Até os três anos de idade, Dalton pensava no mundo como um simples quarto de treze metros quadrados.
A maioria das crianças não se lembram das suas vidas aos três anos de idade, mas Dalton conseguia ter a lembrança de alguns detalhes em particular. Ele se lembrava do cheiro dos cabelos da sua mãe, da voz doce e melodiosa dela quando ela cantava e da forma com que ela dizia que o mundo não existia, que as árvores não eram reais, nem o mar, nem o céu. Que a televisão era ficção e que sua alimentação chegava por meio de mágica. E que eram apenas ela e ele. E às vezes o homem que aparecia durante a noite.
Dalton não se lembra dele, mas lembra dos barulhos. Se lembra que sua mãe o colocava para dormir na cama improvisada dentro do armário e então ele escutava barulhos de passos e conversas. E era isso. Aquilo era tudo o que ele se lembrava do pequeno quarto fedorento no qual ele passou os primeiros três anos da sua vida.
O último episódio trágico que Dalton tinha daquele pedaço de universo que ele e sua mãe haviam construído, foi de uma tristeza enorme consumir a mulher de rosto embaçado. Ela não dormia mais de noite e de dia ela não deixava a cama. Ela não cozinhava. Não conversava nem cantava. Ela havia ficado quieta, calada e por um momento Dalton chegou a questionar mesmo se ela possuía vida. E foi então que tudo mudou. Ele acordou com um barulho e pulou do armário para encontrar o corpo da sua mãe pendurado, pescoço enroscado contra um punhado de pano e se contorcendo em busca de ar. Geralmente Dalton não conseguia ser ouvido fora dali, mas o homem de dentro da TV conseguiu escutar o seu choro e então tudo o que veio em seguida foi preto. Foi muito confuso. Quando Dalton acordou de novo, ela estava em outro planeta.

Por muito tempo o pequeno achou que tivesse transitado para outra dimensão, talvez para dentro da televisão, mas as freiras do orfanato tentaram ao máximo explicar para o menino como as coisas funcionavam, tentando sempre não traumatizá-lo mais do que provavelmente já estava. A sorte de Dalton é que tinha finalmente três anos de idade quando foi colocado para adoção e seu choque de apenas descobrir o mundo com aquela idade foi grande, porém menor do que na pior hipótese. E então ele descobriu que tudo era real. Que as árvores eram reais, que as folhas eram reais, que o mar, o céu, e o sol também eram. E sua mãe havia mentido sem ao certo ele entender a razão. Ele via crianças tristes por estarem onde ele estava, mas Dalton não ligava. ELe queria sua mãe, sim, mas ele preferia muito mais aquilo o que as freiras chamavam de "o Mundo".

A estadia de Dalton no orfanato foi curta e aos quatro anos ele foi adotado por dois homens muito dóceis que os criaram como seu. Eles sabiam sobre o passado de Dalton e por causa disso o processo legal por sua guarda foi demorado, mas eles conseguiram. Dalton nunca teve um pai e agora tinha dois. ELe foi levado para um boa casa em Burkitsville onde teve uma infância relativamente comum.

Por ter descoberto seu novo mundo, Dalton desenvolveu uma paixão quase impressionante sobre maquinarias complexas como foguetes, aviões e coisas do tipo. Ele sonhava em ser astronauta quando pequeno e passava dias desmontando e montando um antigo rádio dos seus pais. Ele se divertia com a forma com que pequenas peças pudessem gerar coisas inusitadas como música ou imagem e com o tempo a ciência passou o amor do menino sobre a mágica. Ele era curioso, estudioso e gostava de entender o mundo. Não possuía nenhuma mente brilhante, mas demonstrava enorme bondade e curiosidade em relação a tudo e a todos.

Aos dez anos Dalton descobriu quem ele realmente era.

Antes do próprio Blackout Butcher, um monstro ainda pior havia sido solto em outra cidade do estado onde ele havia nascido com um sobrenome diferente. Sua mãe, Joy Hammingale, havia sido sequestrada aos dezessete anos, se tornando desaparecida até os vinte e um anos quando seu corpo finalmente foi encontrado, despejado em um terreno. O homem, o sequestrador, - o pai biológico de Dalton - foi descoberto três anos depois e havia recebido uma sentença quase eterna na prisão, o que era satisfatório. Mas ainda assim Dalton não conseguia não se sentir afetado por descobrir quem era seu pai. O homem misterioso. O sequestrador. O responsável por ter aprisionado a ele e sua mãe dentro de um quarto tão pequeno por tanto tempo.

Dalton continuou sua terapia até os treze anos quando resolveu voltar para ver o quarto onde ele havia sido criado. As memórias eram ruins, exceto pelo rosto da sua mãe que se tornou mais claro do que nunca. A viagem era longa, mas mesmo aquele sendo um local de tanto sofrimento, foi transmitido certo carinho pelo garoto. Porque era ali que ele havia nascido afinal. E era ali que ele havia visto sua mãe pela última vez. BROKEN.
DALTON WEISS CHILDREN OF LOVE


Última edição por Dalton Baltmor Weiss em Seg Jul 25, 2016 11:48 pm, editado 2 vez(es)


DALTON LAMBERT BALTMOR WEISS
I AM THE CHILD OF LOVE LOST INSIDE OF THE VOID. YOU BETTER WATCH OUT', YOU BETTER NOT CRY, CAUSE SANTA IS COMMIN' TO TOWN! YEAH. JUST CALL ME THAT PRICK. THIS SIGNATURE DOESNT MAKE SENSE ANYWAYS.
avatar
Dalton Baltmor Weiss
KIDS

KIDS

Mensagens : 41
Data de inscrição : 14/07/2016

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: — Devil In I

Mensagem por Dalton Baltmor Weiss em Seg Jul 25, 2016 10:16 pm

Family
MOM
Cassandra
Lambert. Dead.
Nome: Casandra Lambert;
Idade: 21 anos;
Profissão: Estudante;
Status: Morta;
Considerações: Em breve
Nome: Warren Sanders;
Idade: 43 anos;
Profissão: Mecânico;
Status: Preso;
Considerações: Em breve.
DAD
Rapist
Warren Whatever.
MOM
Lenore
Weiss. Alive.
Nome: Lenore Baltmor Weiss.
Idade: 30 anos.
Profissão: Médica Psiquiatra.
Status: Viva.
Considerações: Em breve.
Nome: Angelina Montgomery Weiss.
Idade: 32 anos.
Profissão: Advogada.
Status: Viva.
Considerações: Em breve.
MOM
Angelina
Weiss. Alive.
BRO
Enzo
Weiss. Alive.
Nome: Enzo Baltmor Weiss.
Idade: 05 anos.
Profissão: -
Status: Vivo.
Considerações: Em breve.


Última edição por Dalton Baltmor Weiss em Seg Jul 25, 2016 11:46 pm, editado 1 vez(es)


DALTON LAMBERT BALTMOR WEISS
I AM THE CHILD OF LOVE LOST INSIDE OF THE VOID. YOU BETTER WATCH OUT', YOU BETTER NOT CRY, CAUSE SANTA IS COMMIN' TO TOWN! YEAH. JUST CALL ME THAT PRICK. THIS SIGNATURE DOESNT MAKE SENSE ANYWAYS.
avatar
Dalton Baltmor Weiss
KIDS

KIDS

Mensagens : 41
Data de inscrição : 14/07/2016

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: — Devil In I

Mensagem por Dalton Baltmor Weiss em Seg Jul 25, 2016 10:31 pm

Friends
LOV
Calliope
El-Hashem. Alive.
Nome: Calliope Aisha El-Hashem;
Idade: 18 anos;
Profissão: Estudante;
Status: Viva;
Considerações: Em breve
Nome: Calum K.-Norlander;
Idade: 23 anos;
Profissão: Estudante;
Status: Vivo;
Considerações: Em breve.
FUN
Gollum
Calum. Alive.
CZY
Melissa
Hensgbhj. Alive.
Nome: Melissa Henkolovsky
Idade: 13 anos.
Profissão: Estudante.
Status: Viva.
Considerações: Em breve.


DALTON LAMBERT BALTMOR WEISS
I AM THE CHILD OF LOVE LOST INSIDE OF THE VOID. YOU BETTER WATCH OUT', YOU BETTER NOT CRY, CAUSE SANTA IS COMMIN' TO TOWN! YEAH. JUST CALL ME THAT PRICK. THIS SIGNATURE DOESNT MAKE SENSE ANYWAYS.
avatar
Dalton Baltmor Weiss
KIDS

KIDS

Mensagens : 41
Data de inscrição : 14/07/2016

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: — Devil In I

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum